segunda-feira, 1 de setembro de 2014

As Meninas do Conto apresentam As Mil e Uma Noites

Experimento cênico do Grupo As Meninas do Conto, a partir de histórias selecionadas deste que é considerado um dos grandes clássicos da tradição oral. A cada noite histórias diferentes.


Dia 01.09, segunda (programa A)
Dia 02.09, terça (programa B)

ENTRADA FRANCA



Realização: Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo.


sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Primeiro Olhar: III Festival Internacional de Teatro para Bebês


Pioneiros do Teatro para Bebês da França, da Espanha e de São Paulo e Brasília estarão no Brasil para se apresentar e discutir a sua Arte no Primeiro Olhar – III Festival Internacional de Teatro para Bebês – uma iniciativa do Grupo Sobrevento que acontece de 8 a 31 de agosto de 2014, em São Bernardo do Campo e em São Paulo, COM ENTRADA FRANCA.

A terceira edição do festival, que é realizada com o apoio do ProAC, reunirá espetáculos do francês Laurent Dupont, da Cia. Acta; da cia. espanhola La Casa Incierta, do grupo brasiliense Celeiro das Antas e do Grupo Sobrevento, que apresentará Meu Jardim e Bailarina, os dois espetáculos para bebês de seu repertório.

Tendo como foco a Criação no Teatro para a Primeira Infância, esta terceira edição da Mostra Primeiro Olhar favorecerá o intercâmbio de ideias e processos artísticos entre artistas e pesquisadores de diferentes origens e formações artísticas, difundindo e consolidando propostas inovadoras de criação teatral que tomam como ponto de partida o direcionamento à primeira infância e buscando estimular a sua multiplicação. Oficinas para jovens artistas, debates e encontros com professores de creches buscarão estimular novas criações de Teatro para Bebês. A Mostra que terá lugar no Centro Livre de Artes Cênicas, em São Bernardo do Campo, se estenderá para o Espaço Sobrevento e para creches de São Bernardo.

O III Festival Internacional de Teatro para Bebês contará, ainda, com a premiada escritora e ilustradora francesa de origem iranianaMandana Sadat, autora do livro que deu origem ao espetáculo Meu Jardim, que discutirá a transposição da Literatura e das Artes Plásticas para o Teatro na palestra Do Livro ao Palco, que acontecerá no dia 29 de agosto, às 19h, no CLAC, em São Bernardo do Campo.Ainda no CLAC, as gravuras que compõem o livro O Jardim de Babai, serão exibidas de 26 a 31 de agosto em uma exposição que se chamará O Jardim de Mandana Sadat.

Confiram a programação do Festival em São Paulo, no Espaço Sobrevento, e em São Bernardo do Campo, no CLAC, Centro Livre de Artes Cênicas:


CIA. LA CASA INCIERTA | ESPANHA
Espetáculo PUPILA D´AGUA
08 de agosto ás 19h | CLAC – São Bernardo do Campo
09 de agosto às 15h | Espaço Sobrevento – São Paulo
10 de agosto ás 11h, 14h e 16h | CLAC – São Bernardo do Campo



CIA. ACTA | FRANÇA
Espetáculo ARQUIPÉLAGO
16 e 17 de agosto ás 11h e 14h | CLAC – São Bernardo do Campo
23 de agosto às 11h | Espaço Sobrevento – São Paulo



GRUPO SOBREVENTO | SP_BRASIL
Espetáculo BAILARINA
16 de agosto às 15h | Espaço Sobrevento – São Paulo
23 de agosto às 15h | Espaço Sobrevento – São Paulo
30 de agosto às 14h |
CLAC – São Bernardo do Campo



GRUPO SOBREVENTO | SP_BRASIL
Espetáculo MEU JARDIM
23 e 24 de agosto ás 11h e 14h | CLAC – São Bernardo do Campo



CELEIRO DAS ANTAS | BRASÍLIA_BRASIL
Espetáculo PANAPANÃ
30 de agosto às 11h | CLAC – São Bernardo do Campo
30 de agosto às 15h | Espaço Sobrevento – São Paulo
31 de agosto às 11h e 14h | CLAC – São Bernardo do Campo

OFICINA: Criando um espetáculo para Bebês
Laurent Dupont (Cia. Acta - França) e Sandra Vargas (Sobrevento - Brasil)
Local: CLAC - São Bernardo (Centro Livre de Artes Cênicas) 
De 18 a 22 de agosto das 9h às 12h a oficina será ministrada por Laurent Dupont e das 14h às 17h por Sandra Vargas

Serviço
PRIMEIRO OLHAR – III FESTIVAL INTERNACIONAL DE TEATRO PARA BEBÊS
08 a 31 de agosto de 2014

Locais:
CLAC – Centro Livre de Artes Cênicas. Praça São José, 240 – Baeta Neves –
São Bernardo do Campo – Telefone: (11) 4125-0582.

Espaço Sobrevento. Rua Coronel Albino Bairão, 42 – Metrô Bresser-Mooca – Telefone: (11) 3399-3589.

Os locais serão adaptados para receber os bebês e seus pais e contarão com assentos especiais para bebês, trocador, assentos sanitários infantis nos banheiros e brinquedoteca, além de um estacionamento para carrinhos de bebê.

Duração: Os espetáculos têm duração de 30 a 45 minutos.
Capacidade e recomendação: 80 lugares - destinam-se a um bebê de 6 meses a 3 anos de idade com um acompanhante, em um total de 40 lugares para bebês e 40 lugares para acompanhantes, por sessão.
Ingressos gratuitos, distribuídos meia hora antes de cada sessão (no Espaço Sobrevento) e uma hora antes de cada sessão (no CLAC). É recomendável fazer reserva pelo e-mail info@sobrevento.com.br

sexta-feira, 18 de julho de 2014

SALA DE ESTAR REESTREIA EM SP

GRUPO SOBREVENTO PESQUISA A FRAGILIDADE HUMANA: LEMBRANÇAS E SEGREDOS EM CENA


SALA DE ESTAR, o mais recente espetáculo do SOBREVENTO será apresentado de 19 de julho a 31 de agosto em São Paulo. As apresentações acontecem aos sábados e domingos, às 18h e 20h, com ENTRADA FRANCA, no Espaço Sobrevento (Rua Coronel Albino Bairão, 42, próximo ao Metrô Bresser-Mooca). SALA DE ESTAR é um espetáculo itinerante onde os espectadores só precisam dar alguns passos para lá ou para cá, em uma arena onde as cenas acontecem em torno do público: uma experiência que lembra uma instalação plástica e que garante à montagem um clima de intimidade e proximidade. A temporada faz parte do Projeto O Teatro de Casa vai à Praça realizado pelo PROGRAMA MUNICIPAL DE FOMENTO AO TEATRO PARA A CIDADE DE SÃO PAULO. Mais informações e reservas pelo telefone (11) 3399-3589 ou pelo e-mail info@sobrevento.com.br


Em janeiro de 2012, a companhia criou núcleos de estudo para se debruçar sobre a dramaturgia no Teatro de Animação voltado ao público adulto, aprofundando-se na questão da fragilidade. A partir do mote escolhido, o grupo criou uma encenação que traz ao espectador seis cenas, seis estações cênicas onde são desenvolvidas histórias cujo estopim partiu de um segredo, uma confissão do ator. Cada intérprete, ainda na fase da pesquisa, foi instado a confessar um segredo, algo que, emocionalmente, fizesse diferença na trajetória de vida deles. Brotou, nesse momento, junto com o tom confessional, a fragilidade do ser humano.



A partir da ótica de cada um dos atores, são compartilhados com o público, com delicadeza e singeleza, as lembranças e segredos – nem sempre verdadeiros – adormecidos em suas memórias. Para o desenvolvimento da ideia, os atores se valem de objetos – gaveteiros, escrivaninhas, sofás, chapeleiros, bloquinhos, cartas – para, junto com a dramaturgia, dar corpo e voz à fragilidade de cada um dos personagens.


Sala de Estar foi criado a partir das possibilidades e limitações do Teatro de Objetos, a vertente mais moderna do Teatro de Animação. Essa técnica trabalha com objetos prontos, ready-mades, no lugar de bonecos, deslocando-os da sua função (mas sem transformar a sua natureza), para explorar uma dramaturgia que se vale de metáforas, símbolos e figuras de linguagem, em lugar da manipulação propriamente dita.



Para acompanhar a pesquisa desenvolvida, o Grupo Sobrevento convidou grandes nomes internacionais: Agnés Limbos, da La Gare Central, uma das mais importantes companhias de teatro da Europa, sediada na Bélgica e Antônio Catalano, ator italiano dos mais originais e interessantes da atualidade, fundador da Casa Degli Alfieri situada nas colinas de Monferrato (província de Asti, norte da Itália).

Dramaturgia e Concepção da Montagem

A pesquisa do novo espetáculo teve como ponto de partida a exploração da linguagem do Teatro de Objetos, cruzando-a com o tema fragilidade. Na primeira fase, o grupo investigou as possibilidades da construção de uma dramaturgia intimista e delicada a partir dos objetos. A partir de depoimentos pessoais dos atores, foram criadas improvisações baseadas nas suas relações com seus objetos.

Nasceu, desse processo confessional, a dramaturgia do espetáculo, baseada nos depoimentos pessoais e que resultou em seis cenas, que transitam entre a verdade e a mentira, a confissão e a ilusão, cada uma delas feita por um ator. A encenação ocupa todo o galpão do Espaço Sobrevento, dividido como se fossem recortes de salas de estar de diferentes épocas.


O iluminador Renato Machado e o figurinista João Pimenta, responsáveis pela ambientação das cenas, buscaram convergir o teor dramático dos depoimentos pessoais de cada ator com o aspecto visual.

Ficha Técnica:

Criação: Grupo Sobrevento
Direção: Luiz André Cherubini
Dramaturgia e interpretação: Sandra Vargas, Sueli Andrade, Roberta Nova Forjaz, Liana Yuri, Daniel Viana e Mauricio Santana. 
Figurino: João Pimenta
Assistente de figurino: Marcelo Andreotti
Iluminação: Renato Machado
Cenário: Luiz André Cherubini
Técnico de Luz: Marcelo Amaral
Técnico de Som: Agnaldo Souza
Cenotécnico e adereços: Agnaldo Souza e Mandy
Video Mapping: Christian Lins
Fotos: Marco Aurelio Olimpio
Assistentes de confecção: J. E. Tico, Léia Izumi e Alexandre Teizen

Serviço
Temporada: de 19 de Julho a 31 de agosto de 2014 - sábados e domingos, às 18h e 20h
Entrada Franca. 30 lugares. Informações e reservas: info@sobrevento.com.br, (11) 3399-3589
Espaço Sobrevento. Rua Coronel Albino Bairão, 42 - Metro Bresser-Mooca 

segunda-feira, 19 de maio de 2014

As Meninas do Conto apresentam “Bruxas, Bruxas...e mais Bruxas!”

SERÃO REALIZADAS DUAS SESSÕES COM ENTRADA FRANCA, NO DIA 31 DE MAIO

O espetáculo “Bruxas, Bruxas...e mais Bruxas!” aborda o universo fantástico, mágico e até divertido destas personagens tão presentes no imaginário universal. Bruxas de diferentes origens e tradições se dirigem a um encontro anual para trocar receitas, feitiços e histórias. Esta montagem demarca os 15 anos de existência do grupo “As Meninas do Conto”. As apresentações terão ENTRADA FRANCA e serão realizadas no ESPAÇO SOBREVENTO (Rua Coronel Albino Bairão, 42 - Metrô Bresser-Mooca), no sábado, dia 31 de maio, às 11h e 15h. Os ingressos podem ser retirados uma hora antes. 
imagem velhas_3
As apresentações fazem parte de um intercâmbio entre o SOBREVENTO e as Meninas do Conto, que prevê apresentações e oficinas públicas e abertas, nos espaços de ambas as companhias. As atividades integram o projeto DE LÁ PRÁ CÁ DE CÁ PRÁ LÁ – expansão, circulação, intercâmbio e formação de público na trilha Leste Sul, realizado pelas Meninas do Conto no âmbito do Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo e estão inseridas na Semana Mundial do Brincar, uma semana de mobilização promovida pela Aliança pela Infância que pretende contribuir para o aumento da sensibilização e da consciência sobre a importância do brincar e o respeito que devemos ter por esta ação.
bruxas3
pé da página.jpg

quarta-feira, 30 de abril de 2014

Oficina gratuita com as Meninas do Conto


O SOBREVENTO dá início a um intercâmbio com as Meninas do Conto, que prevê apresentações e oficinas nos espaços de ambas as companhias. A primeira atividade é uma oficina que será coordenada pelas Meninas do Conto no Espaço Sobrevento, de 6 a 29 de maio, às terças e quintas, das 14h às 17h. Os interessados devem enviar uma mensagem para contatomeninasdoconto@gmail.com até o dia 4 de maio.
cena Pedro

As atividades integram o projeto DE LÁ PRÁ CÁ DE CÁ PRÁ LÁ – expansão, circulação, intercâmbio e formação de público na trilha Leste Sul, realizado pelas Meninas do Conto no âmbito do Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo.
Com o projeto, As Meninas do Conto pretendem:
  • Expandir sua pesquisa de linguagem para o público adulto e também sua presença na cidade de São Paulo, atuando nas regiões mais distantes de sua sede – zonas Leste e Sul;
  • Circular com seu último espetáculo "Bruxas, Bruxas... e mais Bruxas!!!";
  • Desenvolver intercâmbio com a Cia O Grito e Grupo Sobrevento, não apenas para trocar conhecimentos, como para fortalecer os vínculos com os artistas e comunidades das regiões sul e leste e continuar formando público.
Além disso, iniciará uma pesquisa cênica para o público adulto, com o material do livro As Mil e Uma Noites, traduzido por Mamed Mustafá Jarouche para o português diretamente do árabe. Os chamados experimentos cênicos serão apresentados a diferentes públicos, na Casa da História, sede do grupo, assim como nas sedes dos grupos parceiros. A troca de oficinas e apresentações, na perspectiva de estabelecer novas parcerias e abrir campos de diálogo com o Grupo Sobrevento e Cia O Grito, objetiva também alcançar as comunidades onde os grupos estão inseridos.

velhas_1

As Meninas do Conto apresentam o espetáculo BRUXAS BRUXAS E + BRUXAS no dia 31 de maio.

terça-feira, 12 de novembro de 2013

SALA DE ESTAR REESTREIA EM SP

GRUPO SOBREVENTO PESQUISA A FRAGILIDADE HUMANA: LEMBRANÇAS E SEGREDOS EM CENA


SALA DE ESTAR, o mais recente espetáculo do SOBREVENTO será apresentado de 19 de julho a 31 de agosto em São Paulo. As apresentações acontecem aos sábados e domingos, às 18h e 20h, com ENTRADA FRANCA, no Espaço Sobrevento (Rua Coronel Albino Bairão, 42, próximo ao Metrô Bresser-Mooca). SALA DE ESTAR é um espetáculo itinerante onde os espectadores só precisam dar alguns passos para lá ou para cá, em uma arena onde as cenas acontecem em torno do público: uma experiência que lembra uma instalação plástica e que garante à montagem um clima de intimidade e proximidade. A temporada faz parte do Projeto O Teatro de Casa vai à Praça realizado pelo PROGRAMA MUNICIPAL DE FOMENTO AO TEATRO PARA A CIDADE DE SÃO PAULO. Mais informações e reservas pelo telefone (11) 3399-3589 ou pelo e-mail info@sobrevento.com.br


Em janeiro de 2012, a companhia criou núcleos de estudo para se debruçar sobre a dramaturgia no Teatro de Animação voltado ao público adulto, aprofundando-se na questão da fragilidade. A partir do mote escolhido, o grupo criou uma encenação que traz ao espectador seis cenas, seis estações cênicas onde são desenvolvidas histórias cujo estopim partiu de um segredo, uma confissão do ator. Cada intérprete, ainda na fase da pesquisa, foi instado a confessar um segredo, algo que, emocionalmente, fizesse diferença na trajetória de vida deles. Brotou, nesse momento, junto com o tom confessional, a fragilidade do ser humano.



A partir da ótica de cada um dos atores, são compartilhados com o público, com delicadeza e singeleza, as lembranças e segredos – nem sempre verdadeiros – adormecidos em suas memórias. Para o desenvolvimento da ideia, os atores se valem de objetos – gaveteiros, escrivaninhas, sofás, chapeleiros, bloquinhos, cartas – para, junto com a dramaturgia, dar corpo e voz à fragilidade de cada um dos personagens.


Sala de Estar foi criado a partir das possibilidades e limitações do Teatro de Objetos, a vertente mais moderna do Teatro de Animação. Essa técnica trabalha com objetos prontos, ready-mades, no lugar de bonecos, deslocando-os da sua função (mas sem transformar a sua natureza), para explorar uma dramaturgia que se vale de metáforas, símbolos e figuras de linguagem, em lugar da manipulação propriamente dita.



Para acompanhar a pesquisa desenvolvida, o Grupo Sobrevento convidou grandes nomes internacionais: Agnés Limbos, da La Gare Central, uma das mais importantes companhias de teatro da Europa, sediada na Bélgica e Antônio Catalano, ator italiano dos mais originais e interessantes da atualidade, fundador da Casa Degli Alfieri situada nas colinas de Monferrato (província de Asti, norte da Itália).

Dramaturgia e Concepção da Montagem

A pesquisa do novo espetáculo teve como ponto de partida a exploração da linguagem do Teatro de Objetos, cruzando-a com o tema fragilidade. Na primeira fase, o grupo investigou as possibilidades da construção de uma dramaturgia intimista e delicada a partir dos objetos. A partir de depoimentos pessoais dos atores, foram criadas improvisações baseadas nas suas relações com seus objetos.

Nasceu, desse processo confessional, a dramaturgia do espetáculo, baseada nos depoimentos pessoais e que resultou em seis cenas, que transitam entre a verdade e a mentira, a confissão e a ilusão, cada uma delas feita por um ator. A encenação ocupa todo o galpão do Espaço Sobrevento, dividido como se fossem recortes de salas de estar de diferentes épocas.


O iluminador Renato Machado e o figurinista João Pimenta, responsáveis pela ambientação das cenas, buscaram convergir o teor dramático dos depoimentos pessoais de cada ator com o aspecto visual.

Ficha Técnica:

Criação: Grupo Sobrevento
Direção: Luiz André Cherubini
Dramaturgia e interpretação: Sandra Vargas, Sueli Andrade, Roberta Nova Forjaz, Liana Yuri, Daniel Viana e Mauricio Santana. 
Figurino: João Pimenta
Assistente de figurino: Marcelo Andreotti
Iluminação: Renato Machado
Cenário: Luiz André Cherubini
Técnico de Luz: Marcelo Amaral
Técnico de Som: Agnaldo Souza
Cenotécnico e adereços: Agnaldo Souza e Mandy
Video Mapping: Christian Lins
Fotos: Marco Aurelio Olimpio
Assistentes de confecção: J. E. Tico, Léia Izumi e Alexandre Teizen

Serviço
Temporada: de 19 de Julho a 31 de agosto de 2014sábados e domingos, às 18h e 20h
Entrada Franca. 30 lugares. Informações e reservas: info@sobrevento.com.br, (11) 3399-3589
Espaço Sobrevento. Rua Coronel Albino Bairão, 42 - Metro Bresser-Mooca 

terça-feira, 1 de outubro de 2013

SÃO MANUEL BUENO, MÁRTIR REESTREIA EM SP

ÚLTIMO FINAL DE SEMANA!





Indicado ao Prêmio APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte) nas categorias Melhor Espetáculo e Direção, o mais recente espetáculo do SOBREVENTO, destinado ao público adulto, será apresentado de 12 de outubro a 10 de novembro, no Espaço Sobrevento, com ENTRADA FRANCA

(Fotos gentilmente cedidas por Lauro Medeiros)

Um dos destaques da temporada, SÃO MANUEL participou recentemente do FILO 2013 e foi considerado um dos melhores espetáculos do festival. A peça estreou em 17 de janeiro em São Paulo e seguiu em turnê por Campo Grande, Rio de Janeiro, Fortaleza, João Pessoa e Recife. Em junho, participou da Mostra Sesc Teatro de Animação. A montagem foi realizada graças ao Ministério da Cultura e ao patrocínio da Petrobras, através da Lei de Incentivo à Cultura.

A temporada, que encerra a Mostra Fragilidade, realizada pelo Programa de Fomento ao Teatro, acontece aos sábados e domingos, 20h, na Rua Coronel Albino Bairão, 42, a duas quadras do Metrô Bresser-Mooca. Haverá sessões extras às 18h nos dias 26 e 27 de outubro, 2, 3, 9 e 10 de novembro. Os ingressos são gratuitos e podem ser reservados pelo e-mail info@sobrevento.com.br - são apenas 68 lugares por sessão.


PRIMEIRA ENCENAÇÃO DO MELHOR ROMANCE DE UNAMUNO

O texto foi escrito em 1930 pelo poeta, filósofo e escritor Miguel de Unamuno (1864-1936), reconhecido, não só pela qualidade de sua obra, mas também pelos sucessivos ataques à monarquia da Espanha. Nunca antes encenado, “São Manuel Bueno, Mártir” transformou-se em uma peça, dirigida ao público adulto, que conta a história de Dom Manuel (vivido por Maurício Santana), um padre que duvidava da vida após a morte e da própria existência de Deus. Através da narrativa confessional e em primeira pessoa de Ângela (Sandra Vargas), o texto embrenha-nos no drama íntimo do pároco, que está prestes a ser beatificado. Lázaro (Luiz Cherubini), irmão de Ângela, acaba de voltar dos EUA para a pequena cidade onde nasceu e tenta convencer Ângela a ir embora daquele lugar onde, segundo o personagem, “as mulheres mandam nos homens e os padres mandam nas mulheres”. Mas ela se recusa, convencida de que há questões a serem resolvidas por lá. A trama gira em torno do relacionamento desses três personagens: Ângela ganha profunda admiração e gratidão por Dom Manuel, que se transforma, de um mártir, em uma espécie de santo, apesar – ou justamente por causa – de sua dúvida e falta de fé.


MIGUEL DE UNAMUNO: A FÉ CEGA E A FACA AMOLADA

Polêmico, Miguel de Unamuno (Bilbao, 1864 – Salamanca, 1936) foi filósofo, ensaísta, dramaturgo, romancista e poeta: sua obra literária gira em torno de três temas dominantes: o homem, a imortalidade e a Espanha. Paradoxal e contraditória, sua visão particular do mundo e a defesa apaixonada das suas ideias transformaram-no no centro de todas as polêmicas políticas e religiosas de seu tempo. Entre suas obras, destacam-se A Tia Tula, A Vida de Dom Quixote e Sancho e Niebla. Era praticamente uma versão real do próprio Dom Manuel: era um cético, mas tinha muita fé; criticava a Igreja e a fé cega, mas defendia que não poderíamos ser totalmente descrentes. “Chegamos a um espetáculo muito simples e muito delicado. Não queremos, nele, fazer uma demonstração de virtuosismo; não queremos impressionar, surpreender; não queremos falar da força, da vitalidade, da modernidade do Teatro de Animação; mas expor as nossas dúvidas, as nossas angústias, as nossas questões, a nossa fragilidade. A dúvida - que é o cerne deste espetáculo e do próprio texto que lhe deu origem – é, para nós, a melhor contribuição que o Teatro de Animação pode dar ao Teatro e que nós, artistas, podemos oferecer ao público”, explica Luiz André Cherubini, ator e diretor do espetáculo.


UMA MONTAGEM MUITO POUCO ORTODOXA

A montagem realizada pelo SOBREVENTO é pouco ortodoxa. Acontece em uma arena ocupada por uma mesa redonda, que representa o mundo. No centro dela, bonecos de madeira estáticos, fixos, sem qualquer articulação, confeccionados pelo escultor Mandi. São pelo menos 30 bonecos que representam os personagens da trama e o povo da pequena cidade onde se desenrola a história. Os três atores-manipuladores, representando os personagens Dom Manuel, Angela e Lázaro, movimentam estes bonecos como se fossem peças de xadrez ou figuras de um presépio. A trilha sonora do espetáculo, realizada ao vivo, foi criada especialmente pelo pernambucano Henrique Annes, um dos fundadores do Movimento Armorial, virtuoso do violão recifense e que comemora os seus 50 anos de carreira. A música de Annes, que transita entre o erudito e o popular, é executada por três músicos, ao violão, violoncelo e bandolim. “Ao longo do espetáculo, as figuras (bonecos) vão perdendo a sua forma, se decompondo, ficando cada vez mais distantes do figurativismo original, como em um livro, molhado pela água. O jogo de movimentação das figuras lembra um jogo de criança ou às vezes uma maquete, mas não há uma manipulação propriamente dita ou uma técnica de animação”, diz a atriz Sandra Vargas. Os espectadores presenciam um jogo, invadem a intimidade da cena e formam uma espécie de assembléia. O espaço cênico é uma espécie de poço escuro e o tampo da mesa é o própio palco do espetáculo.
Esta é a 19ª montagem do Grupo Sobrevento, com 27 anos de carreira e um dos maiores expoentes brasileiros do Teatro de Animação. O espetáculo conta, ainda, com a delicada iluminação de Renato Machado, uma instalação cênica de abertura (que leva o nome de Povo Frágil) do renomado artista plástico italiano Antonio Catalano, ambientação e orientação cenográfica de Telumi Hellen, figurino de João Pimenta, preparação cenotécnica e mecanismos de Agnaldo Souza e encenação de Luiz André Cherubini, que atua no espetáculo ao lado de Maurício Santana e Sandra Vargas.


O TEATRO DE BONECOS PARA ADULTOS

O Teatro de Animação moderno é uma ampliação dos limites que o senso-comum estabeleceu, preconceituosa e equivocadamente, para o Teatro de Bonecos. Espalhado por todas as épocas e por todos os lugares do mundo, o Teatro de Animação funde linguagens cênicas, mistura modernidade e tradição, mistura erudição e popularidade, tem como palco qualquer espaço e tem como alvo públicos de todas as idades e grupos sociais, um de cada vez ou todos de uma só vez. Em São Paulo, no entanto, vemos poucos espetáculos que exploram a linguagem do Teatro de Animação para adultos, por sua inviabilidade econômica, o que, muitas vezes, não acontece quando o Teatro de Animação se dirige ao público infantil. O SOBREVENTO é um dos poucos Grupos de Teatro de Animação do Brasil que se têm dedicado ao público adulto e, sempre, com grande profundidade e êxito. O Grupo tem lutado por difundir a ideia de que o Teatro de Bonecos deve ser antes Teatro e depois de Bonecos e que toda técnica deve estar a serviço daquilo que se quer dizer. Dominando um grande número de técnicas de animação, o Grupo montou, entre outros, os espetáculos SUBMUNDO, UBU!, O THEATRO DE BRINQUEDO, BECKETT, O CABARÉ DOS QUASE-VIVOS, QUASE NADA e ORLANDO FURIOSO, apresentados em quase todos os estados do Brasil e em países de quatro continentes.